Páginas

segunda-feira, 28 de abril de 2008

O ar que eu respiro

Eu quero fazer valer o ar que eu respiro.
Por isso vou ser sempre essa
que solta o ar dos pulmões, da garganta,
que sangra o próprio coração,
que não engole o choro,
que corre à frente de qualquer dano,
que acorda de ressaca da própria alegria,
que não finge o aperto do calo
e nem o amor pelo verso.

regina vilarinhos

Um comentário:

  1. a cada nova visita vejo coisas lindas e emocionantes!
    adoro!
    bjs

    ResponderExcluir