Páginas

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Das perdas


Preciso digerir, entender, administar, refazer e caminhar de novo.
Nada, nem ninguém consegue explicar. É o que eu sei e sinto hoje, depois de uma terça-feira que não precisava existir na vida de ninguém.

Quem conhece pessoas assassinas? Eu não convivo com bandidos, nem trabalho no setor prisional. Mas eu queria saber como deve ser a noite do Sr. Hortêncio Julião da Fonseca Júnior, que na noite de terça-feira matou meu sobrinho. Ele deve ter pesadelos constantes desde então. E eu não quero mais dormir...pois o sonho que tenho é vendo o Marcelo sorrindo e vivo. Dói, dói muito.

Não quero continuar com o blog. Não tenho vontade de dizer mais nada. Quero que algo me dê forças para trazer de volta a felicidade de minha filha, de meus familiares. Só eles importam. Mais nada.

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Então tá, Feliz Páscoa!



Parece brincadeira, mas é isso mesmo. Feliz Páscoa!

Vamos lá: corram atrás do coelho, façam as brincadeiras, achem os ovos e lambusem a cara de chocolate. Soltem a criança (ou as crianças) que brinca dentro de você e está esquecida, triste, amargurada, procurando conforto nesta loucura de mundo moderno.

É preciso abrir o caminho para um alguém diferente dentro de nós. Deixar a nossa fertilidade de sonhos, a nossa fertilidade de amor explodir e dar muitas, muitas crias. Como um coelho, libertar o nosso prazer, a nossa alegria, a nossa malemolência, para parar de deixar os outros fazerem de nós o que bem entendem.

Perto de mim, só ovos multicoloridos, só doçuras, só ninhada e ninhada de sonhos.
Feliz Páscoa!