Páginas

quarta-feira, 9 de abril de 2008

João Ubaldo Ribeiro escreveu:

"Escrever, compor, pintar, atuar, nada disso é trabalho, é o
exercício lúdico, revigorante, glamouroso, e sublime de um dom
artístico. [...] O sujeito senta, sintoniza suas antenas privilegiadas
com as musas e, como quem apenas respira, ou pratica qualquer
ato destituído de esforço, produz a obra de arte. Ela já traz em si a
sua própria recompensa e o artista, esse escolhido da fortuna, não
precisa mais nada para sobreviver.
Por conseguinte o artista não pode pensar em dinheiro. Se pensa,
não passa de uma prostituta, um embusteiro que vende seu
duvidoso talento para manter-se, sustentar a família ou até,
segundo o que parece ser, no ver geral, o destino da maioria, ficar
rico zilionário."

RIBEIRO, João Ubaldo. “De olho no mercado”. Caderno 2. O Estado de S. Paulo. São Paulo, 09/01/200

Nenhum comentário:

Postar um comentário