Páginas

terça-feira, 29 de abril de 2014

Uma vibração diferente na minha voz, um jeito de caminhar que está mais contido, a surpresa em olhar para lados diferentes pela rua.
Não tem censura, tem alívio.
Tem mais do sonho sendo realizado, do que do medo de seguir em frente.
Tem um quê de bolo de laranja e um cheiro de chuva no mato.
Sai pela porta da frente e pelas janelas, entra pelos pelos.
Foi depois de assistir um filme, de ler mais de 4 livros em um mês, depois de escrever mais um poema e de ouvir as músicas que nunca tinha ouvido antes.
Bate ponto e sabe ser dona do seu fazer diário.
E está ali, no meio da praça, sentadinha, esperando o frio gostoso do outono.
Esperando o beijo na boca.
Tem uma mudança em curso. E não é pequena.



regina vilarinhos

terça-feira, 8 de abril de 2014

AROMA CULTURAL - 08.04 - 20 HORAS


RASO E TRISTE

Uma ponta de sal
No canto do dia que não começou.
A mesma tentativa de sempre
de colocar a vida para frente
e ficar citando Leibniz e Locke.
Vazio. Espírito, corpo, mente, coração
estão vazios, mortos, junto de muitos outros iguais.
Deixando pauta sem som,
e tenta reger a orquestra de idiotas que
te seguem.

regina vilarinhos