Páginas

terça-feira, 4 de setembro de 2007

Poeminha de Outono

Poeminha de Outono

regina vilarinhos
arte: luiz - infrabit


Eu me sinto poeta marrom
meus verso caindo de mim como folhas secas,
em cada pedaço de rima
uma infinidade de mim se espalhando no papel.
Beijos feridos que queriam tocar seus lábios
e te encontravam cinza.
Qual a cor que você pode me dar hoje?
Fosse amarelo para minhas cantigas de desejo,
ou vermelho para meus sonetos de amor.

Um comentário:

  1. GENIAL!
    Gostaria muito de ser também uma folha de outono para cair lentamente sobre o seu corpo.
    Só que a cor seria negra , que é a cor da minha pele.
    Beijos

    ResponderExcluir