Páginas

quinta-feira, 13 de outubro de 2016



Quando amadureci a suavidade do amor em mim, a vida passou a ser também suave. Até mesmo quando penso amar sozinha. Porque dou amor e recebo o sorriso dele de volta. Porque salvei o nome dele em mim, em muitas tentativas de esquecê-lo. Porque é amor. 
E cabe dentro do peito e na palma da mão, livre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário