Páginas

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Em caráter irrevogável

Em caráter irrevogável, eu hoje não quero roubar, corromper, mentir barato, bater em cachorro morto, passar trote pra ninguém.

Em caráter irrevogável eu não quero desacreditar nos meus eleitos, nos caras que eu conheço de perto, no ponto de vista de quem sabe como é difícil acreditar em idealismos. Em caráter irrevogável, eu não quero acreditar que é tudo farinha do mesmo saco.

Em caráter irrevogável, eu não quero ouvir pagode, funk, pancadão, música axé, nem hoje, nem amanhã, nem depois de amanhã.

Em caráter irrevogável, eu hoje não quero ouvir nem ler noticiário político, eu hoje não quero ficar lendo tolices no twitter, eu hoje não quero pensar que somos todos idiotas.

Em caráter irrevogável, eu não leio mais artigo de gente que se delicia em fazer da acidez seu alimento diário. Eu não quero ler artigo de quem se julga entender daquilo que não entende, começando sua fala mais apurada com "essa juventude de hoje" ou "o jovem não sabe o que quer".

Em caráeter irrevogável, eu quero estar bem perto da minha família, aquela mesma de sangue. Eu quero saber que meus amigos são bons, mas quem sabe de mim mesmo é minha mãe e meu pai.

Em caráter irrevogável, eu quero estar bem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário