Páginas

segunda-feira, 3 de março de 2008

Partida

Não derramarei o sangue
Não colocarei sobre ti meu corpo.
Basta da tua palavra.
Não te salvo,
não te prendo,
não te entrego.

Orgulho não é minha virtude.
Criação não é tua verdade.

Fogo e terra se esvaem,
Água e ar se invadem.

O tanto que me enganaste.
O tanto que me feriste
Ficou minha cruz pendurada
ficou a ilusão atada,
ficou meu medo, que persiste.


regina vilarinhos

Nenhum comentário:

Postar um comentário