Páginas

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Aliança




Cheguei até aqui.
Chegamos até agora.
Voei até hoje e sinto, mais que nunca,
tua mão sobre a minha, aquecida, protegida,
as duas de agora em diante enlaçadas.
Entrelaçados estamos, alinhavados nossos rumos.
Meus vestidos, minhas manias, e meus medos.
Teus casacos, teu perfume e tuas dúvidas.
Fechados em armários, cúmplices de nossas noites,
cantigas embaladas com os amigos.
Teus olhos indicarão meu horizonte,
em meus braços ninarei a tua esperança.
Nada mais nos divide, a luz de nosso amor se reflete
através de nossos corações.
E assim somando, multiplicaremos.
Seremos um todo, para sempre.

regina vilarinhos

poema feito para Lúcio e Regina - 2007

Um comentário:

  1. Quando ternos e vestidos se encontram no escuro quieto
    da intimidade dos armários,

    A cumplicidade é eterna...

    ResponderExcluir