Páginas

terça-feira, 4 de março de 2008

Horizonte



Meu horizonte grávido de amor,
perdido no teu olhar
onde navegam minhas manhãs.

Meu horizonte grávido de lua,
no céu de tua boca,
onde saboreio hortelã.

Meu horizonte grávido de paz,
no remanso dos teus braços
onde teço minhas manhãs.

regina vilarinhos

Um comentário:

  1. A partir de seu voto, no overmundo em Um minuto de Silêncio (Homenagem a Trancredo), lhe faço esta visita e elogio pela descrição aconchegante, do encontro com seu bem-querer!
    Saudações Cordiais!
    Dubem (Paulo Maciel)

    ResponderExcluir