Páginas

sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Desabafo

Eu não vou me transformar naquilo que a sua vontade quer.
Nem vou negar quem fui, como fui, só para aliviar deixar sua cabeça mais "leve".
Sou Regina, a mesma que um dia amou intensamente suas palavras, mas que sentiu a desilusão de seus atos. Sou Regina, a que sempre deu amizade, do jeito que sei dar, e não pedi mais do que queria. Eu digo de cara, para meus amigos e amores: não me dê promessas, me dê o que és; não me acostume com o que não é seu de verdade.
Um dia, as máscaras caem.
E eu não gosto de olhar para trás.

obs: eu não vou fingir uma poesia. estou necessitando do grito. me perdoem os ouvidos sensíveis, mas a vida nos pede liberdade.

2 comentários:

  1. Regina, que texto belíssimo esse teu! Um manifesto contra as máscaras da hipocirisia!

    Hoje, no weblogger, eu também falo de gritos ribombantes...


    Abraços, flores, estrelas..

    ResponderExcluir
  2. As máscaras sempre caem e desfazem as farsas...só depois disso é possível gritar e ser livre.

    Besos

    ResponderExcluir