Páginas

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Virada de ano?

Esperando o tempo passar, para passar a dor, repensar a perda, perder a tristeza, para ganhar uma nova rotina, para o tempo de novo passar. Quem consegue fazer poesia numa hora dessas, é porque é um poeta de mão cheia mesmo.

Num piscar de olhos, a gente descobre, mais uma vez, que festa nenhuma é importante. Virada de ano? Babaquice. O que vira é só o calendário. A falta de bom senso da grande maioria vai ser a mesma. De algumas, até piora. Grande coisa beber e sair por ái dizendo: Feliz Ano Novo.

No dia seguinte, você descobre que a realidade é a mesma de ontem. Pior, constata que continua o mesmo de ontem, um pouquinho mais amargo.

Quem me dera que o dia de Ano Novo trouxesse de volta não a realidade de ontem, mas a realidade de 10 dias atrás. É isso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário